Como migrar o WordPress

Wordpress Logo

Aproveitando a necessidade de renovação do web hosting efetuei a migração deste blog para uma nova conta na Bluehost (com esta migração consegui poupar na subscrição de 3 anos cerca de $100 – $3.95/mês vs $6.99/mês).

Tinha pelo menos 2 hipóteses para proceder à migração do blog para outro servidor:

Hipótese 1 – Database Export/Import & File syncing:

  1. Export completo da Base de Dados do WordPress (utilizando o phpMyAdmin ou o mysqldump);
  2. Cópia total dos ficheiros da raiz do WordPress do servidor antigo para o novo servidor;
  3. Import da Base de Dados no novo servidor – caso a BD, hostname, user ou password sejam diferentes o wp-config.php deverá ser alterado.

Hipótese 2 – Clean Install:

  1. Antes de iniciar qualquer tarefa de migração será necessário anotar ou guardar todas as customizações do site, tais como os temas, permlinks, uploads, imagens, etc;
  2. Efetuar o Export ,utilizando a funcionalidade do WordPress (Tools ? Export) – este export obterá os posts, páginas, comentários, custom fields, categorias e tags;
  3. Instalar o WordPress e a Base de Dados no novo servidor. Para tal poderão utilizar as ferramentas acessíveis através do painel de administração do novo hosting (ex. cPanel, Fantastico, Simplescripts, Mojo);
  4. Efetuar a customização dos permalinks no WordPress do novo hosting;
  5. Efetuar o Import, utilizando a funcionalidade do WordPress (Tools ? Import) – este passo poderá implicar a instalação do pluggin Importer;
  6. Transferir os conteúdos da diretoria ‘wp_content/uploads’ para o novo hosting;
  7. Transferir ou instalar o theme no novo hosting;
  8. Instalar e configurar todo os plugins no novo hosting.

Nota 1: Em ambos os cenários será também necessário ter em atenção a resolução DNS e a necessidade da alteração dos records em seu devido tempo.
Nota 2: Após a migração, e caso ainda necessitem de aceder ao blog alojado no hosting antigo, terão que alterar os URLs na Base de Dados (campos ‘siteurl’ e ‘home’ da tabela ‘wp_options’).

Acabei por optar pela segunda hipótese, uma vez que pretendia limpar o “lixo” que se foi acumulando ao longo dos 7 anos de existência do blog. Apesar deste método ser bastante mais demorado e requerer muita mais intervenção humana, tem a vantagem de ser o mais próximo de uma instalação de raiz “limpa” e obriga a uma maior atenção na verificação do correto funcionamento do blog – o que me permitiu identificar alguns problemas legacy e alguns broken links.

Caso descubram ainda algum broken link ou conteúdo inacessível por favor contactem-me.