CommandKungFoo: ‘watch’

O comando ‘watch’ é um daqueles comandos esquecidos por muitos, mas bastante útil. Com ele conseguimos executar um programa periodicamente, mostrando o seu resultado em fullscreen.

A sintaxe do comando é bastante simples:
watch <comando>
 
As opções mais utilizadas são:

    -d, evidencia as mudanças entre as execuções do comando
    -g, termina quando o output do comando altera
    -n, delay em segundos entre as execuções do comando

Alguns exemplos da utilização do watch:

  • Monitorizar a conclusão de um determinado processo:
    Ex: watch -n 1 -g “ps a|grep -v grep|grep rsync|awk ‘{print $5}'”; banner FINISH
  • Acompanhar o crescimento de uma diretoria ou ficheiro:
    Ex: watch du -hs /dumps/
  • Monitorizar online quantos utilizadores estão ligados à máquina:
    Ex: watch -t -n 10 w

Raspberry Pi para Totós – Parte 5

Ideias

As potencialidades são imensas, mas ficam aqui algumas ideias originais na utilização a Raspberry Pi:

Ver também:

Raspberry Pi para Totós – Parte 4

Caixas

Quando compram uma Raspberry Pi estão a comprar somente a board, e se a querem proteger numa caixa terão que que a construir ou a comprar à parte.

Existem já inúmeras lojas online que vendem caixas construídas de propósito para albergar a Raspberry Pi e também existem muitos guias DIY para que um qualquer habilidoso consiga construir a sua caixa personalizada. Existem instruções para a construção de caixas com materiais tão simples como madeira, peças Lego, cartão, etc.

Ficam aqui algumas ideias para as vossas caixas (o link da foto vai diretamente para a pagina do guia ou da loja online):

Ver também:

Raspberry Pi para Totós – Parte 3

LEDs, Áudio, Vídeo, Serial e compatibilidade dos cartões SD.


LEDs
O Raspberry Pi tem 5 LEDs de status que ajudam a perceber o seu estado.
Na versão 1.0:

  •  OK – Cor Verde – Acesso ao SDCard
  •  PWR – Cor Vermelha – Power supply.
  •  FDX – Cor Verde –  Full Duplex (LAN)
  •  LNK – Cor Verde – Atividade LAN
  •  10M – Cor Amarela – Conexão a 100Mbit

Na revision 2.0:

  •  ACT – Cor Verde – Acesso ao SDCard
  •  PWR – Red – 3.3 V Power. Power supply. Ligado allways on. Desligado off. Não dever piscar.
  •  FDX -Cor Verde –  Full Duplex (LAN)
  •  LNK – Cor Verde – Atividade LAN
  •  100 – Cor Amarela – Conexão a 100Mbit

Chama-se à atenção de que o LED PWR, em condições normais, deve estar sempre acesso e não deve piscar.

 


Conexões Áudio e Vídeo
Existem 2 conexões para TV/monitores, um conector HDMI e um conector de vídeo composto (só imagem). No que diz respeito a som existe uma jack áudio de 35 mm.
Para ligar o Raspberry Pi a uma televisão antiga deverão utilizar o conector de video composto (os formatos PAL e NTSC são suportados) e para obter áudio terão que ligar o áudio jack à TV através de um cabo RCA.
Poderão ligar umas colunas ou uns auscultadores ao áudio jack para obter som.

Serial
Os parâmetros para ligar à porta serial são:

  • Speed: 115200
  • Bits: 8
  • Parity: None
  • Stop Bits: 1
  • Flow Control: None

Mais detalhes sobre a ligação Serial no artigo ‘Raspberry Pi’s onboard Serial connection‘.

Compatibilidade com cartões SD
Antes de instalar um cartão SD será conveniente confirmar a sua compatibilidade com o Raspberry Pi, porque foi reportado que alguns cartões poderão não funcionar corretamente.
Sugiro também ter uma especial atenção em verificar o ‘product number’ exato antes de comprar o cartão.
A lista de cartões compatíveis são mantidos em elinux.org/RPi_VerifiedPeripherals#SD_cards e www.raspberry-pi.co.uk/2012/06/07/compatible-sd-cards/

Ver também:

Raspberry Pi revision 2.0

A Raspberry Pi Foundation anunciou uma revisão à board do model B, esta revisão foi intitulada “revision 2.0” e já está a ser entregue em algumas das encomendas.

Esta revisão inclui uma serie de pequenas alterações:

  • Adição de um ‘reset circuit’
  • Remoção de alguns dos fusiveis de protecção das entradas USB
  • Alteração em pinos do GPIO para suportar JTAG
  • Remoção de alguns sinais redundantes no GPIO
  • Novo conector que permitirá a conexão de uma vasta gama de boards
  • Correcção de alguns problemas com a ligação HDMI
  • Adição de 2 furos de 2.5mm para facilitar a fixação da placa

Outra novidade com esta revisão é que o fabrico da Raspberry Pi passou da China para o Reino Unido.

Mais detalhes sobre esta revisão 2.0 em www.raspberrypi.org/archives/1929

Raspberry Pi para Totós – Parte 2

Neste segundo artigo do “Raspberry Pi para Totós” descrevo onde se pode adquirir o Raspberry Pi, os prazos da sua entrega e os preços expectáveis da solução.


Onde comprar:
Os Raspberry Pi podem ser adquiridos em várias lojas online. O meu conselho é comprá-lo num dos distribuidores globais (RS Components e Farnell) ou num representante local de confiança (como a InMotion). É de evitar os leilões e lojas menos conhecidas e sem grande reputação de vendas de equipamento informático.

Talvez seja uma boa ideia evitarem a compra do Raspberry Pi numa loja fora da comunidade europeia, nomeadamente em lojas nos Estados Unidos da América, como a Allied, porque se o fizerem poderão ter que desembolsar um considerável acréscimo no valor a pagar devido a taxas de transporte e de desalfandegamento.


Prazos de entrega:
Os prazos de entrega oscilam imenso, conforme a disponibilidade do stock e volume de encomendas.
Uma boa ideia será sempre confirmar o prazo de entrega expectável em várias lojas e decidir mediante as respostas que vos sejam transmitidas.
É necessário também ter atenção que, com alguma frequência, lojas como a RS Components sofrem significativos atrasos nas entregas, enviando posteriormente e-mails para os seus clientes similares ao seguinte:

Caro cliente,

Agradecemos novamente a sua encomenda de Raspberry Pi, referência 0000000000. Estamos a trabalhar arduamente com os nossos fornecedores de Raspberry Pi para garantir que receberá a sua encomenda o mais rapidamente possível.

Fomos informados de que o lote que esperávamos receber de aproximadamente 40.000 unidades de Raspberry Pi só chegará durante o mês de Setembro e as seguintes entregas em Outubro.  Este atraso deve-se à elevada procura gerada pelo chip processador Raspberry Pi. Infelizmente, isto significa que a sua encomenda poderá sofrer um atraso de 8 semanas, que estamos a tentar reduzir ao máximo. Já atualizamos o plano de entrega nas Perguntas Frequentes do nosso site e no fórum de Raspberry Pi. Assim que tivermos mais informação dos nossos fornecedores, entraremos imediatamente em contacto consigo para lhe comunicar as melhorias da situação.

Apresentamos as nossas sinceras desculpas por este atraso e garantimos que estamos a fazer o possível para que receba a sua Raspberry Pi o mais rapidamente possível.

Com os melhores cumprimentos,

RS Components & Allied Electronics


Preços:
Como já referi no primeiro artigo, o preço “base” do model B é de $35 (US dollars). Em cima deste valor teremos sempre que somar mais os impostos e as taxas de envio, por isso o valor final para um Raspberry Pi – com entrega em Portugal – deverá rondar os 45 €.

Se formos também adicionar uma caixa, um cartão SD e a alimentação poderemos ter que somar mais uns 20 a 30 €.

 

Ver também:

Raspberry Pi para Totós – Parte 1

Este é o primeiro de uma serie de artigos sobre o mini computador Raspberry Pi. Tentarei abranger os tópicos mais básicos sobre este equipamento, mas também irei escrever pelo menos dois tutoriais de como tirar partido de algumas das suas potencialidades.

Como nasceu:
A ideia da construção de um computador pequeno e barato surgiu a Eben Upton e aos seus colegas da Universidade de Cambridge por volta de 2006. Todos eles estavam apreensivos sobre o progressivo declínio de experiência em matérias práticas de informática dos candidatos a alunos do curso de Computer Science.
Segundo eles a maioria dos recentes candidatos tinham muitas diferenças com os dos anos 90s, tendo passado de experientes programadores e hackers para uns verdadeiras primadonnas onde as suas experiencias resumiam-se à utilização Internet, Word ou Excel.

A Raspberry Pi Foundation – fundação sem fins lucrativos – foi fundada em Maio 2009, suportada pelo University of Cambridge Computer Laboratory e pela Broadcom, com o objetivo de promover o estudo das ciências de computadores e temas relacionados, especialmente ao nível escolar e para voltar a permitir que o estudo dos computadores fosse algo satisfatório e divertimento. Ao longo destes anos a fundação desenvolveu e tornou realidade um computador pequeno, barato e acessível.

No primeiro semestre de 2012 o model B entrou em fabrico massivo e começaram a ser vendidos através de 2 lojas online.


O que é o Raspberry Pi:
O Raspberry Pi model B é um computador do tamanho de um cartão de crédito (8,56cm x 5,39cm x 1,7cm) e com um peso de 45 g.
Este equipamento é alimentado através de um micro USB de 5v, tem um processador ARM compatible de 700MHz, 512MB 256MB of RAM (partilhada com a GPU), 2 portas USB, placa de rede 100MBit, slot para cartão SD/MMC/SDIO, outputs TV, HDMI e 3.5mm audio jack e ainda um número de I/O pins para outras brincadeiras.


Quanto custa:
O model B é vendido por cerca de $35, mais impostos e taxas, mas para beneficiar de todas as potencialidades do computadores terás ainda de comprar um cartão SD, fornecer alimentação elétrica e ligar um teclado e uma ligação para monitor/televisão.
Este modelo não é vendido com caixa, mas há quem venda separadamente caixas de plástico feitas especificamente para o formato e conectividades do Raspberry Pi. Em alternativa existe já muitas soluções DIYDo It Yourself – utilizando materiais tão diversos como blocos de Lego, papel ou cartão, madeira, etc.

Ver também:

Férias em Segurança – Segurança lógica

Se no primeiro artigo sobre o tema falei sobre segurança física, neste segundo artigo abordarei algumas das minhas sugestões no que diz respeito à segurança lógica dos vossos dados em férias.

Parte 2 – Segurança Lógica:

  • Verifiquem se o vosso sistema operativo, softwares instalados e antivírus estão atualizados antes de ir para a estrada.
  • Façam backup dos vossos dados antes de ir de férias. E não levem esse backup convosco!
  • Revejam os dados que têm nos seus aparelhos e apaguem informações desnecessárias para as férias. Se utilizam o Dropbox, Evernote ou outro serviço Cloud será que não os poderão desativar ou apagar a aplicação do telemóvel ou tablet durante o período de férias? Documentos corporativos serão mesmo necessário estar no portátil pessoal?
  • Verifiquem se têm proteção por password e bloqueio de écran por tempo de inatividade em todos os dispositivos, incluindo laptops, tablets e smartphones.
  • Os screen locks para os tablets e telemóveis poderão não ser perfeitos, mas é bem melhor tê-los ativados do que permitir o acesso imediato aos vossos gadgets. Se utilizam pattern lock considerem mudar esse método de desbloquear o aparelho para PIN ou password.
  • Considerem a instalação de software antirroubo que permita bloquear e apagar os dispositivos remotamente. Software que permita obter a sua localização poderá também ser útil (ver: Prey, F-Secure Anti-Theft, Snuko).
  • A utilização de internet nos hotéis ou hospots deve ser reduzida a navegações inócuas. Até o acesso wired em hoteis deve ser considerado hostil. Não visitem websites que necessitem de credenciais de acesso, seja a vossa banca online, e-mail, facebook, etc.
  • Cuidados ainda mais redobrados na utilização dos PCs disponibilizados nos hotéis ou nos cyber cafés. Nunca confiem em nada que vos seja apresentado nestes PCs e muito menos utilizem as vossas usb drives para guardar informação. Caso pretendam guardar alguma informação considerem criar uma conta temporária de E-mail ou no Dropbox só para este efeito.
  • Para utilização da Internet com mais segurança considerem a utilização da rede 3G nos vossos aparelhos (mas cuidado com os preços de data roaming).
  • Se têm mesmo que usar a Internet para se ligar a serviços que necessitam credenciais considerem a utilização de VPN.

Ver também:

Férias em Segurança – Segurança física

Agora que o agosto já começou e muitos estão já em férias, lembrei-me de fazer alguns alertas e recomendações que julgo serem úteis para quem leva os seus gadgets ou acede à Internet nas férias.

Parte 1 – Segurança física:

  • Pensem duas vezes sobre a real necessidade de levar todos esses dispositivos para as férias. Se não contam trabalhar porque levar o portátil da empresa? Se a probabilidade de fazer uns vídeos é muito reduzida porque levar a máquina de vídeo?
  • Coloquem uma etiqueta com alguns dados de contacto nos vossos gadgets mais caros. Caso percam a câmara de vídeo ou o portátil poderão aumentar as probabilidades da sua devolução colando uma simples etiqueta com nome e telefone.
  • Guardem e tenham acessível todos os serial numbers dos seus gadgets, uma vez que poderá ser uma forma eficaz de os identificar em caso de roubo ou dúvida sobre o seu dono.
  • Nunca deixem os gadgets à vista no carro. Coloque-os no porta-luvas ou na mala do carro, mas nunca os coloquem na mala após o estacionamento, coloquem-nos antes de chegar ao destino.
  • No hotel guardem os gadgets no cofre do quarto ou pelo menos dentro de uma mala fechada à chave ou com combinação.
  • Permaneçam conscientes e alertas sobre movimentações estranhas, bem como nas ruas, shopping e transportes movimentados. Lembrem-se que estarão em território estranho e que poderá haver ladrões em todos os locais mais turísticos.

Ver também:

FLOSS Weekly Podcast

O FLOSS Weekly Podcast é um dos mais antigos podcasts sobre software Open Source, com mais de 6 anos de emissões regulares. O apresentador Randal Schwartz convida todas as semanas representantes da comunidade Open Source e divulga alguns dos principais projetos em voga.

Nos mais de 200 episódios podemos encontrar entrevistas e detalhes sobre variadíssimos projetos Open Source, como o LibreOffice, FreeNAS, Chef, MariaDB, Compiz, entre muitos outros.
Por episódio, o Randal convida um dos core developers ou representante do projeto e procura resposta a várias questões, como a história e a filosofia do projeto, alguns detalhes técnicos, os pontos fortes do projeto relativamente à sua concorrência, etc. O diálogo é sempre fluido, ligeiro e muito “politicamente correto”, esta última característica deverá ser consequência do FLOSS Weekly estar inserida na  TWiT Network, uma rede de podcasts que abrangem vários temas tecnológicos.