CentOS

Ao longo dos anos tenho encontrado (e instalado) de tudo um pouco no que conta a distribuições de Linux como suporte para servidores de produção – desde CentOS, Debian, Fedora, Mandrake, Mandriva, Slackware e Suse.

Nos últimos tempos quando me perguntam qual o SO a instalar e a opção Redhat AS/ES ou Suse Enterprise Server está fora de questão por razões monetárias, tenho sugerido e optado pelo CentOS. Para quem ainda não conhece esta distro, o CentOS é um rebuild 100% compatível com o Red Hat Enterprise Linux usufruindo da estabilidade e da a longevidade das versões enterprise da Redhat.

Na DistroWatch.com:

CentOS is 100% compatible rebuild of the Red Hat Enterprise Linux, in full compliance with Red Hat's redistribution requirements. CentOS is for people who need an enterprise class operating system stability without the cost of certification and support.

A minha última experiência com o CentOS ocorreu à bem pouco tempo, quando tive que instalar um HP Proliant DL 360 e um HP Proliant DL 380 e optei pela versão 4.2 (equivalente ao Redhat AS 4.2). A instalação correu às mil maravilhas, sem o mínimo de problemas, tendo inclusive instalado as tools da HP suportadas apenas para Redhat AS 4. Bastou um simples

echo “Red Hat Enterprise Linux AS release 4” > /etc/redhat-release

para conseguir instalar software como o ‘HP System Management’ ou o ‘HP Array Diagnostic Utility’.

À muito que distros que saem de 6 em 6 meses (Fedora ou SUSE Linux ) deixaram de fazer parte das minhas escolhas a quando da instalação de servidores para clientes. Pretendo estabilidade, longevidade nos updates e um comunidade estável para conseguir ter o mínimo de problemas, segurança e um bom uptime 🙂

Aconselho a todos a darem uma vista de olhos a esta distro quando pensarem instalar um servidor: www.centos.org

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *