Slingbox

Este é daqueles gadgets para os fãs dos “Morangos açucarados” ou para os adeptos de futebol de sofá. Permite ver a nossa TV em qualquer parte do mundo, sendo somente necessário esta caixa maravilha, o seu software player, o cabo da TV de casa ligado à caixa e broadband ligado também.

Segundo o review da CNET ver a nossa TV do trabalho ou de um quarto de hotel é perfeitamente plausível e viável e com uma resolução aceitável. Claro que quanto mais upstream tivermos em casa melhor, segundo as opiniões de utilizadores é ideal para ver as notícias no PC (SlingPlayer – windows only) ou PDA (SlingPlayer Mobile – Windows Mobile only) da terra quando vamos de férias ou em viagens de negócios.

O preço? Cerca de 250 US$
Mais detalhes em: www.slingmedia.com

Enfim, há gente com muito tempo livre e sem nada produtivo para fazer.

P.S. – mas se houve alguém que me queira oferecer uma, eu não a recuso.

Slingbox

Segundas impressões do Qtek S200

1 mês com o Qtek S200 e posso dizer que estou bastante satisfeito com o bicho.
O único defeito em termos de características é a não existência de flash como o Qtek 9100, porque a luz do flash permitiria também servir de lanterna que me dava algum jeito em alguns DataCenters mais negrumes e na troca de algum hardware. E já agora se tivesse rádio levava mais uns pontos positivos na apreciação global.

Como utilizo o telemóvel como despertado acho o programa de alarmes do S200 muito limitado. Ainda não consegui alterar o som de alarme (para um mp3) e ao não permitir definir que o alarme se repita de X em X minutos arrisco a desligar o despertador e voltar a dormir.

De resto considero o S200 uma boa compra onde o software de navegação GPS NDrive desenrasca-se razoavelmente bem mas não chegando ao patamar do Route 66 Navigate 7.

Relativamente a software disponível para Windows Mobile 5 temos quase, quase tudo disponível. Claro que um ‘must have’ para um sysadmin foi a instalação do PocketPutty e do vxUtil (ping, port scanner, traceroute, whois, etc).
Talvez daqui a uns dias divague mais sobre o software que tenho e gostaria de ter aqui no S200.

A importância da excelência nas TIs

À uns dias fui almoçar com um amigo antigo que não o via à um bom par de anos – que me descobriu novamente através daqui do blog – e pudemos por a conversa em dia com temas quase exclusivamente tecnológicos mas também com algumas recordações à mistura.

Ele actualmente é um dos sócios-gerentes de uma empresa de tecnologias de informação, prestando serviços de web hosting. Quando falo em web hosting não estou a falar de um daqueles resselers de espaço nos States… não, neste caso ele possuí e gere várias máquinas alojadas na ‘Lisbon TelExchange Center’ (aka NFSi), faz toda a administração e monitorização, compra software para fazer face às exigências do negócio e dos clientes, implementa novas funcionalidades, têm packs para resellers, suporte 24×7, faz a facturação,… “the whole nine yards”.

O que ele me disse, e que também faz sentido para todo o mercado de TI, é que valorizando a excelência nos serviços prestados ele sabia que conseguia ter um cliente fidelizado e confiante na empresa durante bastante tempo. Ele relatou que já teve casos de clientes que saíram para outro provider mais barato e que passado algum tempo voltaram dizendo que afinal notava-se a diferença na qualidade do serviço prestado.
Ele sabe que não consegue concorrer pelo preço e com algumas das features que os grandes players oferecem ( 1 | 2 ) mas aparentemente tem-se safado bastante bem com a dedicação e atenção que prestam aos seus clientes.
Quando o mercado é tão dinâmico e exigente com este IMO só temos dois caminhos para sobreviver: ou pelo preço ou pela qualidade (se conseguirmos aliar os dois ainda melhor).

Apostar na qualidade e excelência do produto/serviço faz todo o sentido mas é pena que em algumas empresas (TI e não TI) os accionistas estejam mais preocupadas com o lucro imediato do que com a fidelização do cliente através de muito esforço e dedicação.

Oracle sniffing Linux

Ao que parece a Oracle anda a pensar investir no Linux para fazer face aos avanços da Microsoft. O Larry Ellison fala até na eventual compra da Suse ou da Redhat ou então desenvolver a sua própria versão de Linux.

Depois da compra da JBoss pela Redhat, concorrente da Oracle no middleware, parece-me que “aniquilar” a concorrência fará mais sentido, logo a minha aposta será na compra da Redhat pela Oracle.

Talvez daqui a uns tempos tenhamos mais novidades sobre estas pretensões da Oracle.

Redhat adquire JBoss

A Redhat adquiriu a Jboss. Esta aquisição deverá proporcionar à empresa do chapéu vermelho um Java Middleware com provas dadas no mercado e que certamente alargarão os seus lucros já no próximo ano.

Interessante também ver o que o Marc Fleury – JBoss CEO – dizia antes e depois desta aquisição:
antes “RH is a packager, it doesn’t create JACK, it doesn’t create Linux, it wraps it up in proprietary shit.”
depois “The union of these two companies will demonstrate the benefits of a pure open source play,”

Ainda relacionado com a Redhat, a Sybase Portugal foi nomeada Red Hat Business Advanced Partner, única parceria destas em Portugal.

1º Jantar do Planeta Asterisco no Porto – desenvolvimento

Como prometido fica aqui uma resumida opinião de como correu ontem o 1º encontro do Planeta Asterisco no Porto:

Local: Restaurante Flor de Sal, V. N. Gaia

Presentes:

Chegamos todos a horas, apesar da ausência de última hora do Duarte Diogo.
Para começar, o restaurante era agradável, não estava quase ninguém e nós fomos certamente os mais barulhentos porque os restantes clientes de vez em quando punham um olhar incomodado com os “tagarelas” da mesa do canto que falavam de coisas estranhas e que às vezes aumentavam os decibéis.
Como muitos de nós não nos conhecíamos, começamos por nos apresentar individualmente. Apresentações que duraram todo o jantar mas foi um óptima ideia porque deu para quebrar o gelo, meter conversas interessantes pelo meio e conhecer-mos-nos um pouco mais. Falamos de tudo um pouco: temas tecnológicos, temas mundanos e algumas insignificâncias.

Deixo aqui algumas palavras-chave dos temas abordados:
perl, ruby on rails, php, bash, casamento, mac, linux, sunos, microsoft, ipod, fotógrafos e fotografia, futebol, Nuno Gomes, Caixa Mágica, Ipbrick, Microsoft, Ubuntu, Debian, salários, prémios de produtividade, empregos, desempregos, experiencias de emprego, frameworks, Google Analytics, Webalizer, Awstats, p2p

IMO o jantar correu muito bem. Teve a grande vantagem de ser um encontro com poucas pessoas, num local sossegado que permitiu uma interactividade e proximidade entre todos os presentes bastante “produtiva”. Definitivamente um encontro a repetir.

Virtual Server 2005 gratuíto

É capaz de ter passado despercebido a muitos – a mim também passaria, não estivesse eu a ser envolvido num projecto de virtualização – mas parece que a Microsoft oferece agora gratuitamente para download o Virtual Server 2005 R2 Enterprise Edition.
Como o vizinho do lado começou a dar umas borlas a Microsoft teve que seguir o barco e com um bocado de marketing vai de certeza tentar dissimular a diferença entre o Virtual Server e os produtos da VMware.

Claro que ainda não suportam outros Sistemas Operativos que não os Windows.